Esse é um artigo para quem deseja saber mais sobre agrotecnologia e como você pode tirar proveito disso. Começo te informando que 40% dos alimentos são desperdiçados globalmente. Isso se deve a problemas de coleta, armazenamento, embalagem, transporte, infraestrutura, etc. É aqui que os empresários podem criar tecnologia aplicada à agricultura. Você já teve ter entendido o que é agrotech, né ? Se ainda não está claro é o mercado que desenvolve tecnologia para ajudar a agricultura.

O setor no mundo

A Agrotech é uma atividade que, embora esteja em fase de desenvolvimento, tem crescido nos últimos anos. De acordo com uma pesquisa do Startup Genome sobre os diferentes ecossistemas empresariais do mundo, a agrotecnologia cresceu 14,6% ao ano na última década, enquanto a média mundial foi de 4,5%.

Além do exposto, de acordo com relatório publicado pela Deloitte, estima-se que a agrotecnologia como mercado ultrapassa US $ 3 trilhões (milhões de milhões) em todo o mundo e emprega um bilhão de pessoas.

É um setor que oferece oportunidades não só para a busca constante por maior produtividade dos recursos, mas também para a busca pela sustentabilidade e cuidado com o meio ambiente.

O mesmo relatório projeta que a população do planeta chegará a 10 bilhões de habitantes até 2050 e será fundamental pesquisar alternativas para satisfazer suas necessidades básicas, em um quadro de degradação ambiental e escassez de recursos naturais. O aumento da digitalização, impulsionado por novas empresas, ajudará no progresso e garantirá que a atividade agrícola possa atender a essas demandas e contribuirá para ser mais competitivo globalmente. O estudo também analisa os espaços de inovação a serem aplicados na cadeia agrícola e sugere que oportunidades de inovação no setor são encontradas em todas as fases produtivas:

Marketplace e soluções para redirecionamento da cadeia de valor, como entrega de kits de alimentação, off-farm, e-groceries (ou compra digital de produtos de almoxarifado), reaproveitamento de restos de colheita, reaproveitamento e redução de desperdício de alimentos;
Big Data e tecnologia de precisão, como monitoramento da eficiência da cultura, como coleta e análise de dados, drones, sensores, sistemas de irrigação inteligentes e imagens de satélite;
Biotecnologia para aplicação em outras indústrias, como agroquímicos produzidos biologicamente, bioengenharia baseada em micróbios, plantações e sementes biológicas e bioplásticas;
Tecnologia FoodTecho em alimentos, como substitutos vegetais para carne e ovos,
A agricultura interna A agricultura interna, como a agricultura vertical, continha dados agrícolas e plataformas de tecnologia, iluminação LED, aquicultura e hidroponia.

Embora o surgimento e desenvolvimento dos Ecossistemas Agrotech no mundo seja bastante recente, existem alguns exemplos que se destacam pelo seu progresso e dinamismo e que, sem dúvida, podem ser considerados os líderes em escala global. Entre os ecossistemas mais vibrantes do mundo, não se pode deixar de citar Tel Aviv (Israel), Amsterdam (Holanda), St. Louis (Estados Unidos), Nova Zelândia e Piracicaba (Brasil).

Oportunidades de negócios

No setor de agrotech ou agrotecnologia existem oportunidades de negócios em praticamente toda a cadeia de abastecimento, desde a produção inicial até o consumo final nas famílias. A FAO (Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação) relata que 40% dos alimentos são desperdiçados em todo o mundo. Isso se deve a problemas de coleta, armazenamento, embalagem, transporte, infraestrutura, etc. É aí que podem entrar os empresários com tecnologia aplicada à agricultura.

A população continua aumentando. Há muito mais pessoas que comem mais e melhor.

Segundo estimativas da FAO, a produção de alimentos até 2050 deve aumentar em mais ou menos 70% a mais do que a produzida em 2010 e com a mesma capacidade de terra. Isso só será alcançado se a produtividade aumentar. Isso requer mais agrotech.

No FOCIR (Fundo de Investimento e Capitalização do Setor Rural), um de seus principais instrumentos são os Fundos de Investimento de Capital em Agronegócios (FICAS). O presidente da Focir, Luis Alberto Ibarra, destaca que o fundamental é ter um bom plano de negócios. Esse é o ponto de partida. “Depois de conseguir, o resto é mais fácil. O mais importante é ter essa ideia bem desenvolvida ”. Se você só tem a ideia e está buscando desenvolver a ideia, pode encontrar pessoas desse mercado dentro da plataforma do iaprendi

Por fim, o Brasil destaca na pesquisa agrícola. Temos uma grande tradição e programa de aceleração focados para pessoas que querem ingressar nesse setor.