A CEO do IAPRENDI, Pâmela Ponce é uma empresária que impulsiona e investe no desenvolvimento do empreendedorismo feminino.

Pâmela, impulsiona o empreendedorismo feminino trazendo modelo de gestão do mundo de startups. Além disso, sua bagagem é alinhada com seu propósito: gerar oportunidades para as mulheres empreendedoras. Visto que Elas são novas no mercado e não podem aprender a gestão do mundo velho.

Como tudo começou

Começa a empreender aos 3 anos e intuitivamente. Sua mãe trabalhando sua educação financeira, percebe que é ela guarda o dinheiro que recebe. Por vezes oferecendo a sua mãe de volta pedindo juros. E foi assim até chegar na pré-adolescência.

Primeira negociação oficial

Vendendo dinheiro a juros e guardando, consegue guardar dinheiro para comprar meia bateria de carro. Seu pai, comerciante e dono de uma auto elétrica vende a meia bateria, mas deixa no estoque.

A época é de inflação e ela não entende conceito de investir, como em bolsa de valores. Porém, entende que na época, os produtos comprados “hoje” estariam mais caros “amanhã. Nessa lógica, consegue comprar 1 bateria e meia.

Novas negociações

Nasce a ideia de unir-se com suas irmãs e comprar 1 linha telefônica que na época pagava um bom aluguel. Surge seu começo de independência financeira.

Assim, tem sua primeira experiência como empreendedora. Aos 16 anos, começa um negócio de moda íntima e com uma equipe com 3 revendedoras.

Desafio de escolha

Com o tempo, a Pâmela, descobriu que esse mercado não é o que queria. Como se não bastasse, seus pais, aos 18, começaram pressionar para trabalhar com eles. A Ponce resolveu buscar um emprego no mercado para aprender.

 Destaques e prêmios

Seu primeiro emprego é atendente de caixa numa instituição financeira, aos 18 anos. Quando faz 19, ganha destaque como a primeira pessoa a ter um cargo de liderança numa equipe de 5.000 funcionários.

Quando sai de lá para trabalhar no escritório de contabilidade da família, (mãe e tia são as sócias) conquista outro destaque. Sua gestão leva a empresa a conquistar o selo PQEC – Programa de qualidade para empresas contábeis. Atualmente, menos de 500 empresas contábeis tem esse selo num mercado de mais de 40.000 negócios.

Seu próprio negócio

Após alguns anos, Pâmela Ponce, abre seu próprio negócio. Uma empresa de distribuição de produtos ecológicos. Que ela leva um grande apredendizado: nunca centralize seu negócio em poucos fornecedores. O negócio decolou e num raio de 150 km a distruibuição era exclusiva. Acontece, que de um dia para o outro seus dois maiores fornecedores pararam de vender. Um anunciou que estava saindo do país e o outro faliu.

Imagine ter um negócio lucrativo e não ter mais produtos para vender. Nesta situação que ela recebeu uma proposta para realizar um projeto em Palmas – TO na área da construção civil. Durou 2 anos o projeto. Quando voltou para sua cidade, Campinas/SP começou a participar de eventos de grupo feminino e um dia ocorreu algo que incomdou.

Inesperadamente, num dos eventos ocorreu um comportamento machista e preconceituoso com 2 empresários. As duas empresárias que fizeram a piada sem graça se sentiram a vontade em replicar o mesmo problema que enfrentamos todos os dias.

E foi indignada com essa situação que criou o IAPRENDI. Diante de um momento que a deixou irritada por ver mulheres tendo a mesma atitude que a maioria dos homens. Foi assim, que ela abraço a causa, descontruiu muitas crenças e aprendeu muito sobre o feminino e masculino.

Hoje o IAPRENDI é uma marca que não só levanta a bandeira do empreendedorismo feminino, como também é uma das mais importantes do país.

Sua atuação profissional

Atualmente, Pâmela Ponce mora entre Brasil e o México. E além de ser CEO do IAPRENDI, tem outros chapéus:

  • Como diretora do Founder Institute – programa de aceleração de startups com matriz no Vale do Silício;
  • Mentora no programa de Startups do Sebrae;
  • Faz parte do comitê de Mulheres Acate;
  • Mentora do programa de aceleração do Ministério de tecnologia e inovação;
  • Colunista no IAPRENDI e no Mundo do Marketing;
  • Associada a OBME

 

Pâmela gosta de lembrar as pessoas: ” Você não é o negócio ou a profissão. Entenda que são um papel em sua vida. Portanto, se precisa fechar, mudar, trocar ou pivotar faça sem medo de ser feliz. Sua vida profissional é uma parte da sua vida e não ela. Lembre-se disso.”